Arquivo do mês: julho 2009

Com Chicote

Lá estávamos nós começando nossa série de passeios culturais de férias, comendo um belo pedaço de pizza e divagando sobre quais filmes iríamos assistir durante as férias, quando surgiu o nome de “Coraline” e quase que instantaneamente a Giuli anunciou que tinha assistido e complementou que a mãe dela tinha o filme e – “… ele é Pirata… e sabe Pirata não é legal… é proibido… mas eu assisti!”. Fantástico aquela pequenininha ali me ensinando o que era contravenção… Fascinante!

Mas não parou por ai, e continuou a pequena – “… ela também tem pirata Alice no País das Maravilhas… com chicote…”?? – opsss para tudo!! – “Com chicote??? Que filme é esse??? Me empresta??” – perguntei pensando que tipo de filme seria esse… talvez a nova versão do Tim Burton? Talvez…

Bastou alguns segundos para a Gigi desvendar o mistério que tomou conta de nós – “Don Quixote, menina…” – e a Giuli não deixou por menos – “… isso mesmo ´Conde Xote´!” – e foi risada para todo lado…

Dom Quixote Conjunto Naciona

Irônica e coincidentemente, poucos minutos depois adentrando ao Conjunto Nacional para nossa surpresa nos deparamos com uma imensa escultura de Don Quixote totalmente feita de sucata e eu fui logo anunciando para a Giuli – “Olha, aquele é o Com Chicote, digo Don Quixote”.

promo

Anúncios

10 Comentários

Arquivado em Cotidiano, Cultural, Urbano

Questão de ótica

Foi só acabar o “Show-neral” de Michael Jackson para começarem a botar a boca no trombone. Diversidades de teorias conspirativas é que não irão faltar.

forest_LawnPara começar uma das irmãs de MJ veio através da mídia falar que tem certeza absoluta que ele foi assassinado, alegando inclusive que foi ela mesma quem pediu uma nova autópsia no corpo do irmão.

Outra teoria que circula se espalha pelo mundo virtual é que Michael não morreu e tudo não passou de uma encenação para tirá-lo de circulação alavancando vendas e tributos a fim de recuperar a imensa dívida em que ele se afundará…

Bom se isso é só um boato, com certeza ganharia mais consistência se descobrissem que provavelmente não havia corpo sequer dentro daquele caixão que esteve no “Show-neral”, afinal será que ninguém imagina que o corpo já pudesse ter sido enterrado ou cremado na cerimônia somente entre familiares que houve no cemitério longe de toda a mídia?… e que aquele caixão foi só posto ali para satisfazer o ego incansável dos fãs…?

***

defaultAliás, falando em cerimônia no cemitério, tenho que pagar um pau para o “Impostor” do Programa Pânico! O cara já vinha fazendo e acontecendo de bicão em vários locais de difícil acesso aqui no Brasil, até ai tudo bem, afinal caso acontecesse algo de errado haveria imprensa e advogados a rodo para livrar a cara dele, mas fazer uma dessa lá na terra do Tio Sam em um ‘evento’ que contava com imensa mobilização policial e restrição de acesso para todo lado… o cara foi o único meio de imprensa que adentrou o cemitério e chegou lá pertíssimo de toda a família Jackson. Imagina se um brazuca é pego lá pela polícia querendo burlar a segurança??? Provavelmente estaria apanhando até agora… PARABÉNS!!!

E foi até por ver essas cenas que eu definitivamente conclui que nada mais havia naquele caixão do “Show-neral”. Minha teoria se solidificou definitivamente depois da ‘paradinha’ no cemitério…

***

Falando em “Show-neral”, se essa moda pegar vamos ter que começar a se coçar desde já para garantir os ingressos para os shows das mortes de Mick Jagger, Robert Plant, Madonna, Paul Stanley, Steve Tyler, Bruce Dickson, etc. Haja grana…

***

Se acontecer da mesma forma que foi com o Rei do Rock – Elvis -, a história da não-morte de Jackson vai perpetuar por muito tempo, porém com uma diferença, afinal Elvis poderia mudar seu visual e se refugiar em algum lugar por um tempo até que talvez pudesse estar mesmo confundido com qualquer pessoa normal na rua; ao contrário de Jackson, que com sua aparência inconfundível não conseguiria nem mesmo se esconder com o Bin Laden… todo mundo reconheceria aquela forma extraterrestre andando pela rua… no mínimo levariam ele para Área 51, para estudos!!!

Sem contar que com a globalização e a imensa gama de aparelhos tecnológicos portáteis providos de câmeras seria impossível se safar de algum ‘click’…

***

Kiss_1974_10Já imaginou se durante a década de 70 existisse a mesma tecnologia de câmeras de hoje? Provavelmente o KISS jamais teria sido a banda dos caras pintadas mais famosa do mundo, afinal os caras conseguiram deixar suas verdadeiras faces longe dos ‘clicks’ por 10 anos (de 74 a 84). Não há qualquer notícia de fotos dos caras durante essa época a não ser com a maquiagem. Primeiro que os caras precisariam de sorte em vê-los sem maquiagem e ao mesmo tempo ter uma câmera, com filme a posto para fotografar e ainda não ser pego pelos seguranças que provavelmente velariam o filme instantaneamente.

Fico imaginando a tia convidando Gene Simmons para uma festinha de família e o cara chegando lá de maquiagem e tals!!!

Ainda bem para eles que ainda não existia “O Impostor”!

promo

2 Comentários

Arquivado em Cotidiano

Museu para Menininhas e Meninonas

museudabarbie002

Faz 50 anos que ela não sai da vitrine, sempre em evidência, linda e acompanhando as tendências do mundo fashion. Não é por menos que Barbie se tornou um objeto de desejo de tantas mulheres mundo afora, sejam elas crianças, adolescentes ou adultas.

Muito mais que apenas um brinquedo de criança, a Barbie tornou-se também objeto de desejo de colecionadores afora fazendo inclusive a cabeça de homens como o psicólogo Carlos Keffer, que cedeu 547 das 550 Barbies da sua coleção particular para uma exposição única no Museu Encantado da Barbie, que se realiza no Shopping Cidade Jardim desde o dia 09 de Março e vai até 31 de Julho.

Essa exposição é uma grande pedida para um passeio de férias para as menininhas e meninonas de todas as idades.

O museu é formado por vários ambientes cada um com um tema diferente, que mostra desde a primeira Barbie de 1959 passando por todas as tendências e modas até o dia de hoje.

IMAG0002Outra grande peculiaridade do Museu é a infinidade de curiosidades sobre a boneca, passando por toda a árvore genealógica: pais, primos(as), irmãs, namorado e amigos dela que já foram feitos e comercializados por todo o mundo; as edições especiais de astros e estrelas com Audrey Hepburn, Elvis, Cher e personagens históricos do cinema; a Barbie grande que foi comercializada nos Estados Unidos durante a década de 70 como rainha da Disco; e outras diversas curiosidades expostas no Museu.

Ao final do passeio, ainda há um espaço exclusivo para as meninas se divertirem e brincarem a valer com uma diversidade de bonecas.

IMAG0030Todos os ambientes definitivamente vão remeter as crianças a um verdadeiro Mundo Encantado.

Vale lembrar que a entrada é gratuita!!

Local – Shopping Cidade Jardim

Av. Magalhães de Castro, 12000 – de terça a sábado, das 10h às 21h, e aos domingos, das 12h às 18h.

Maiores informaçõeshttp://www.museuencantado.com.br/

4 Comentários

Arquivado em Cultural

Dia Mundial do Rock

Em homenagem ao dia mundial do Rock, um ‘remake‘ de um texto que escrevi no ano passado sobre a volta do bom e velho estilo Rock ao contexto musical atual.

O Rock está de volta

A história nos mostra que as várias gerações existentes até a década de 70 foram gerações que mudaram o mundo em um contexto social e político. Guerras, revoltas e manifestação deram a oportunidade de iniciar uma mudança na década de 70, porém ainda um tanto quanto tradicional e com valores. Então chegaram os anos 80 o ápice das mudanças culturais e a definitiva quebra das barreiras existentes.

A década de 80 será sempre a década que a velha geração nunca entendeu; a nova apenas tentará copiar e aqueles que viveram jamais esqueceram. Trilhando um rumo pouco diferente da tendência pop, seguindo os caminhos do rock e hard rock, e a alternatividade dos anos 80, vi na cena musical o rock crescendo; vi o grunge tomar seu espaço e depois morrer e quando percebemos o bom rock apenas sumiu. O ‘bum’ da MTV mundial parecia maravilhoso, até se render e se vender a mercadologia televisiva corrompida. Diante da necessidade da mídia algumas poucas bandas ainda buscaram seu lugar ao sol, tentaram mudar seus estilos para acompanhar a tendência, principalmente regida por Seatlle e com isso perderam um pouco (ou alguns casos muito) da sua ideologia. Os membros das grandes bandas também se renderam a fama e ao poder e deixaram seus egos se achar maior que todos ao seu redor e se desmancharam. Apesar de ter criado algumas boas bandas alternativas e gerado um ou outro clássico, em minha opinião Seattle significativamente, assim como seu clima, criou uma nuvem negra sobre o rock e seus precursores. E então o rock sumiu…

Os anos 90 não tiveram expressão alguma, apenas passaram ofuscando o passado e criando incertezas para o presente.

Felizmente já algum tempo tenho notado que essa nuvem dissipou. A necessidade de uma geração oitentista ainda ativa e sedenta por mudanças comportamentais, culturais e de valores precisava acordar novamente. Nos Estados Unidos surgiu um novo canal televisivo chamado VH1, o próprio substituto da época dourada da MTV. Adotou o público órfão da cena musical televisiva e reuniu velhas bandas, tocou o clássico e mostrou para a nova geração os bons e velhos vídeos clips. O cenário musical noturno se proliferou de baladas oitentistas, as chamadas ‘baladas trash”, atraindo a nova geração e a geração dos anos 80. A extravagância do visual se foi, mas o conceito permaneceu. Ainda há alguns lugares tradicionais que vive exatamente o mesmo clima e visual dos anos 80 e é exatamente com se entrasse numa máquina do tempo com todo o Glam Rock dos bons tempos.

Mas tem algo que me deixa mais feliz, do que apenas saber que a década 00 do século 21 é um flashback dos anos 80. O cenário musical rock voltou. Voltou com o velho estilo rock remodelado aos novos tempos mas com a mesma pegada, a pureza distorcida de seus riffs, melodias e letras. Os velhos ídolos ressurgindo das cinzas em visuais modernos e ainda com aquela gana de voltar a ser astro do rock. Seus egos e melindres se rendem ao companheirismo dos antigos amigos e companheiros de banda. Há exceções daqueles que apesar de tentarem, não conseguem nem mesmo dormir com seus próprios egos, mas digamos que na maioria a coisa volta a fluir. Eles já beberam, cheiraram e fumaram, viram amigos irem para o outro lado, fizeram as extravagâncias que podiam e parecem ter voltado mais sãos. Não que tenham deixado de lado sua insanidade, senão não teria a menor graça, mas parecem no mínimo mais comedidos.

O rock acordou… Rock is back!

promo

4 Comentários

Arquivado em Cultural, Música

Enfim Sexta, 10 de Julho…

logo sextaApesar de estarmos no meu do feriadão para alguns, hoje no dia do meu aniversário vou dar 3 dicas especiais de filmes para o fim de semana, particularmente bem pessoais…. espero que gostem! Enjoy it…

1 – Detroit Rock City (cat. comedia / musica) 1999

DRTSDurante o ano de 1978 quatro garotos farão o possível, o impossível e o totalmente inusitado para conseguir de qualquer forma assitir ao mega show de rock da banda KISS em plena cidade de Detroit, a cidade do rock.

Para quem torceu o nariz a primeira vista, não se deixe influenciar, pois o filme é uma típica comédia com a boa e velha receita Hollywoodiana dos anos 80, colocando os personagens e situações totalmente absurda e com escapatórias mais mirabolantes ainda. A diversão é totalmente garantida com muitas risadas e um grande trilha de hits clássicos do rock como Van Halen, ACDC, entre muitos outros, e até musicas do momento DISCO da época.

Extremamente recomendado!

2 – Do Inferno [From Hell] (cat. policial / suspense) 2001

from hellSempre que eu ouvia falar, assistia à algum filme ou lia algo sobre Jack ‘O Estripador’, eu sempre me perguntava qual real era aquela história e até que ponto ele poderia ou não ser concreta, já que a lenda de Jack na realidade não é uma lenda e sim uma história real.

Bem, todas as histórias e teorias se dizimaram perante a história e roteiro deste filme, estrelado por Johnny Depp e que sem dúvida alguma mostra praticamente a verdade por trás desse famoso Assassino lendário.

O filme mostra exatamente a maquiavélica trama e mistério que se fez durantes os assassinatos e envolvimento da ordem maçonica por trás de toda a verdade que jamais foi revelada.

Segundo próprias fontes maçonicas, a peculiaridade desse famoso caso demanda quase integralmente extamente o que aconteceu na época.

Para variar, a atuação de Johnny Depp sensacional como sempre.

Extremamente recomendado!

3 – PS. Eu te amo [PS. I love you] (cat. romance / comedia) 2007

PSILY400Pelo título, obviamente você deve estar achando que esse é mais um daqueles filme cheio de melações e blá, blá, blá…

Engana-se! Sim é lógico que ele tem seus momentos melações e mi-mi-mis, mas tudo em função dos dramas de uma amor perdido inrecuperável, que causa várias e situações engraçadas e embaraçosas que uma mulher pode viver!

Para ver a dois, juntinhos e com pipocas e refrigerante… e fará você refletir sobre as coisa que você pode esperar da vida ou mesmo da morte.

Altamente recomendado!

4 Comentários

Arquivado em Movies

Cenas de um Supermercado

Lá estava diante da gôndola de suquinhos em pó instantâneo a mãe acompanhada de sua pequena filha,  uma cena comum no dia a dia de um típico supermercado paulistano, por onde centenas de pessoas passavam de lá para cá, pesquisando, conferindo preços e enchendo seus carrinhos com as compras habituais, assim como talvez poucos se atentassem a pequena garotinha fazendo a típica manha de uma criança que quer muito aquele produto que a prateleira ostenta.

A garotinha pedia, emburrava-se e fazia biquinho, todas as artimanhas que as crianças aprendem tão bem em alguma escola em dos doces sonhos infantis que qualquer adulto passa a desconhecer quando cresce!

E mesmo a contradição e alerta que a mãe impetrava para a criança sobre a péssima qualidade de sabor daquele suco, não teve jeito, nada como um biquinho de uma menininha linda para fazer a mãe ceder a compra do objeto (in)desejado, mas com uma veemente condição: “_Vai ter que tomar todo o suco que eu fizer, nem que eu ponha goela abaixo!!”… é fato que aquele ‘goela abaixo’ era mais uma última forma apelativa para a desistência da criança, mas que de nada adiantava… “_Tudo bem!” foi a resposta.

Jarra de suco feita, copo cheio e sobre o olhar atento da mãe, já em casa, a garotinha preparava-se cheia de desejo e vontade em dar aquele primeiro gole, que se deu seguindo de uma caretinha pelo sabor terrível do suco e uma olhadinha para trás por cima do ombro. A mãe com aquele sorriso sarcástico que expressava o tal “não te disse”, apenas aguardava a desistência da criança, para soltar aquela bronca… mas eis que a garota parte para um novo gole, uma caretinha e uma olhadinha para trás… a cena se repetiu de novo e de novo.

O sarcasmo da mãe deu feições a curiosidade pela tal olhadinha para trás, já que a mãe encontrava diante da garotinha… mas um gole, caretinha e olhadinha para trás e a mãe não se agüentou “_O que você tanto olha para trás Dani?” e instantaneamente veio a resposta “_Estou vendo se aparece a piscina mãe!”…

Nenhuma bronca mais seria plausível depois dessa argumentação, afinal era exatamente isso que a propaganda da TV mostrava na época, você tomava aquele suquinho horrível em troca de ver se abrir atrás de você aquela maravilhosa piscina, refrescante e ensolarada!!!

Coisas que só mesmo uma criança percebe… pena ter sido nos idos dos anos 80, onde ainda não existia Procon ou qualquer outro órgão que asseguraria o direito a pequena garotinha àquela piscina em troca de beber o terrível suco!

2 Comentários

Arquivado em Cotidiano

1ª Teoria de Edu

Expediente do fechamento bancário na agência bem no centrão de São Paulo, um ambiente de loucura total onde um quadro de funcionários totalmente de homens para evitar desagrado a qualquer mulher que ali pudesse se ofender ante as atitudes tempestuosas de palavrões e muros sobre a mesa que era constante devido as falhas de contabilidades e somatórias…

Lá pelos idos dos anos 90, esse era o cenário perfeito para a rapaziada organizar e marcar um futebolzinho aos finais de semana, sem qualquer compromisso. Mesmo aqueles mais pernas-de-pau iam para correr atrás da pelota… e foi nesses termos que organizaram um joguinho de Futebol de Campo, pois até então só haviamos jogado futebol de salão ou society de areião.

Durante os dias que se passavam, todos só falam sobre o tal jogo e sobre o local onde seria: um clube com vários campos gramados ao lado da ponte Cidade Jardim. Sem conhecer muito a região e por muito ouvir falar dela, logo fiquei imaginando aquele super campo gramado, verdinho e lindo… me sentia como se fosse jogar em um verdadeiro estádio de futebol. A ansiedade só crescia durante a semana. No sábado marcado, chegando ao clube, fomos entrando e vendo que os campos eram bem legais mesmo até que o organizador indicou que nosso campo reservado estava lá no fundo… lá no fundo!!!

11-2E foi ver para ter uma imensa decepção. Terrão puro! Duro e esburacado e ainda nas laterais, lama a valer. As traves eram de madeira, vigas quadradas e nem redes tinham. O vestiário uma casinha que mais parecia uma maloca! E eu só conseguia pensar “Deus, que merda é essa… onde fui me meter…”. Nem precisa falar, a bola rolou e eu nem tinha vontade de correr atrás dela tamanha a decepção. Não joguei, fiquei somente vagando em campo, meio barata tonta, sem ânimo, sem vontade! Depressão total… afinal eram vários campos gramados e só o nosso que era deplorável!

Na segunda os comentários pitorescos das jogadas inusitadas eram abafadas pela gozação geral sobre o estado catastrófico do campinho.

Passaram-se algumas semanas e lá veio a turminha do futebol agitar um novo jogo. O local?? O mesmo… Meu Deus! A galera falava, agitava e zoava com cada buraco daquele campo (se é que podíamos chamar de campo), mas todos iam afinal já sabiam o que os esperava. Mesmo à revelia do meu ser resolvi aderir à caravana e me divertir. Fui com o melhor pensamento possível para tirar o devido proveito daquilo tudo, ou seja, zoar muito, por pior que fosse.

Chegando ao nosso destino, posso dizer que as coisas não haviam mudado muito, porém agora as traves eram de ferro e redondas, com rede e o terrão já não estava tão esburacado como antes. Eu especialmente fui esperando o pior e encontrei algo muito melhor, totalmente o oposto do que a primeira vez. Nesse dia meu futebol foi diferente e rendeu muito, alias poderia ali ter ficado jogando o dia todo, mesmo sabendo que depois ainda precisaria encarar uma longa viagem de ônibus para casa.

Não demorou muito para eu refletir sobre tudo o que havia acontecido em ambas as situações e criar dentro da minha cabeça a `Teoria do Campo de Futebol`, que consiste basicamente em esperar sempre pelo pior de tudo, sem criar expectativas, ilusões e ansiedades, pois tudo que sair além do  esperado, sempre será ótimo.

5 Comentários

Arquivado em Cotidiano