Arquivo do mês: outubro 2009

Supernatural

Em véspera de Halloween, nada melhor do que falar sobre a série mais sobrenatural de todas: SUPERNATURAL.

SupernaturalApesar de muitos associarem o seriado a antiga série “Arquivo X”, a fórmula e roteiro de SUPERNATURAL segue uma linha totalmente nova e diferenciada de qualquer uma já vista (ou produzida).

Ao som de uma ótima trilha sonora repleta de clássicos do rock e hard rock, que ecoam do impressionante Chevy Impala 67, os irmãos Winchesters cruzam as fronteiras das cidades americanas em caçadas ao sobrenatural; famosas lendas urbanas; rituais de bruxarias e vampirismo; lutando contra o mal desconhecido.

Diferentemente de “Arquivo X”, cujas secretas operações eram todas governamentais, Dean (Jensen Ackles) e Sam (Jared Padalecki) se utilizam de meios ilícitos para subsidiar suas aventuras, como identidades e cartões de créditos falsificados, na qual de uma forma divertida remete a uma série de ícones da cultura americana e os coloca em constantes problemas com autoridades (como se eles já tivessem poucos problemas com o sobrenatural).

O roteiro da série consegue ter a medida exata de certos ingredientes, sabendo se usar de passagem bíblicas e teorias interessantes da teologia, histórias e lendas.

Atualmente a série esta sendo transmitida em sua primeira temporada diariamente pelo SBT (como o nome SOBRENATURAL), mas já teve inicio de sua 5ª temporada na sua transmissão pelo canal pago WARNER.

***

Ainda falando sobre séries do mundo oculto, outras duas séries se utilizam do tema espiritual como linha de roteiro: “Ghost Whispers” e “Medium”.

Apesar de não acompanhar (e nem gostar muito), vale a pena fazer uma menção a elas, porém para relembrar outras duas séries que não duraram muito, mas que praticamente abriu essas portas a esse universo…

***

Dead LastDEAD LAST (2001)– Essa série com apenas 13 episódios, transmitidos pela WARNER, que tinha em sua linha de roteiro, uma banda de rock formado por 2 rapazes (Kett Turton e Tyler Labine) e 1 garota (Sara Downing) que encontram um amuleto no qual permite a eles verem os mortos que ainda rondam entre nós e por isso tinham o objetivo de resolver seus problemas para que pudessem encontrar seus caminhos, os quais só conseguiam com soluções bizarras e muita ironia. O seriado parecia ser muito bom, mas infelizmente foi cancelado.

***

DEAD LIKE ME (2003) – Uma garota morta de forma prematura por uma tampa de privada (???) que se desprende de uma aeronave, é recrutada para ser uma ceifadora (coletora de almas) dando conforto aos futuros – recentes mortos. O seriado também foi morto prematuramente apenas com 29 episódios, mas não deixou grandes saudades como “DEAD LAST”.

***

vampire diaresOutra série que estreou recentemente nas nos canais pagos foi “VAMPIRE DIARES”, que a principio parece seguir exatamente a mesma receita e que fez o grande sucesso de “CREPÚSCULO”, tendo no enredo principal dois irmãos, Stefan (Paul Wesley) que apesar de ser vampiro quer viver e interagir com o mundo dos humanos de forma pacífica; e Damon (Ian Somerhalder) que mostra todo desprezo e fúria vampiresca que as lendas contam. A série provavelmente fará determinado sucesso entre os adolescentes as sombras da trilogia cinematográfica da qual foi adaptada.

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Cultural, Séries, Televisão

Fome de Viver (The Hunger)

banner

Semana de Halloween, o famoso Dia das Bruxas, tradição festiva cultural norte americana que cada vez mais ganha adeptos em todo mundo, inclusive aqui em terras Tupiniquins.

Festas temáticas e fantasiosas ganham espaço em vários locais; fantasias e objetos arrepiantes preenchem prateleiras em lojas e os canais televisivos recheiam suas grades com filmes horripilantes!

Seguindo essa linha tenebrosa, aqui vai uma dica bem diferente dos sucessos de bilheteria; trata-se de um grande filme do gênero Cult que mistura em sua alternatividade um cenário gótico dos anos 80, sensualidade e uma macabra estória vampiresca…

the-hunger-1983FOME DE VIVER (The Hunger – 1983) trás em seu elenco Catherine Deneuve, Susan Sarandon e David Bowie em um roteiro que cheio de suspense e tensão num ambiente extremamente gótico explorando a fascinante lenda dos vampiros, porém sem citar em nenhum momento qualquer palavra relacionada a “Vampiros” ou mesmo mostrando ícones como os tão conhecidos dentes caninos sobressalentes!

Totalmente diferente dos filmes comuns ao gênero vampiresco, o final que pode aparentemente parecer incompreensivo na realidade transcende a verdadeira tradição dessa lenda macabra.

Destaque para a cena de abertura com a participação de Peter Murphy cantando “Bela Lugosi Is Dead” (Bauhaus)

Para quem é fascinado por Vampiros, vale a pena percorrer as locadoras para localizar essa preciosidade Cult do gênero.

4 Comentários

Arquivado em Movies

Gírias do Fundo do Baú

Outro dia ouvi na rua uma pessoa, relativamente muito nova, soltar uma pérola: “Bregnaits”… Nossa!!! Há quanto tempo eu não ouvi essa gíria…

Parei para pensar em quantas gírias eu já vivi (ouvi e falei) e que se foram. Realmente me senti lisonjeado de estar sempre fazendo ‘updates’ para me manter no mesmo linguajar moderno (mesmo que ache estúpidos às vezes, mas ao menos interado para saber o que significam) que a ‘galera’ costuma falar.

Mas voltando ao ‘Bregnaits’, descobri que essa gíria era uma espécie de coringa das gírias (nem uma grafia correta ela tem: bregenights, bregnights) funcionava para tudo: “Vamos naquele Bregnaits”, “Viu aquele bregnaits?”, “Vou tomar um bregnaits”, “Quer comer um bregnaits?”… quanta criatividade!!

O efeito ‘Bregnaits’ me fez pensar em outras tantas gírias que já se perderam no fundo de velhos baús e que raramente alguém desenterra:

Dar uns malhos, dar uns ralos (que romântico) – beijar, ficar;

Breguetes – qualquer coisa (principalmente aquelas que lhe fugiam o nome na hora H);

Cocotinha, Pitchulinha – mulher bonita, gatinha;

Pão – homem bonito, gatinho;

Supimpa – (sem comentários);

Xuxuzinho – (sem comentários – parte 2);

Infinidade de pérolas como essas são criadas a cada geração e passam do modismo ao brega num piscar de olhos. As enxurradas de emails que recebemos relembrando décadas passadas entre produtos e imagens, às vezes esquecem das preciosas gírias  que costumavamos usar.almaque anos 80

Para ilustrar um pouco isso tudo, quem estiver a fim de se divertir a custos dessas e muitas outras peças do fundo do baú, basta juntar 4 ou 5 amigos ao redor de uma mesa em posse do Jogo do Almanaque dos Anos 80 e rir a valer!! Esse livro pode ser até encarado como um jogo, mas a grande diversão mesmo é mandar umas perguntas para a galera e rachar o bico com as insanidades que vão surgindo das respostas, performances, cantorias… para se ter idéia, dá para relembrar que a Nelsinha Brizola (alguém lembra dela?) inventou a palavra “mintchura” (mentira) que virou febre trocar o ‘T” por “TCH” na época… diversão mais do que garantida, com certeza!

Outra fonte de pérolas das gírias oitentista você encontra nas músicas de bandas de Rock Nacional da época, como a ‘Blitz’ por exemplo, que tinha suas letras sátiras e debochadas.

A único efeito colateral disso tudo é que provavelmente várias coisas podem ficar martelando sua cabeça por muito tempo… BREGNAITS… BREGNAITSSS… BRE-GE-NA-I-TSSSSSSS… e você ainda pode soltar uma dessas por ai (tirem essa palavra da minha cabeça pelo amor de Deus!!!).

E ai, alguém lembra mais de alguma pérola?

PS. Leiam os comentários que estão fantásticos e repletos de gírias sensacionais!!!

16 Comentários

Arquivado em Cotidiano, Cultural, Urbano