O que é o amor?

O que é o amor? Um dia eu achei que ele existia, mas descobri que ele era irreal e falso! Depois eu descobri o verdadeiro amor, aquele incondicional, de pai para filho. Esse sim é verdadeiro e imortal, mas ainda assim ele é diferente.

E onde está o que chamamos de amor? Bem talvez no momento em que mais tive certeza que ele era somente um estado de espírito e que jamais eu seria enganado por isso, foi quando eu errei.

Ah o destino! Tão engraçado que talvez no dia em que tudo devesse ter dado errado, ele apenas cruzou os caminhos. Uma borboleta belíssima veio e apenas me ensinou a voar… ensinou-me a voar alto; ensinou-me a acreditar… mostrou-me caminhos belos, caminhos ousados e fantásticos; ensinou-me a ter prazer em voar alto e conhecer um mundo; ensinou-me a querer ver o mundo; ensinou-me sobre os prazeres da vida; ensinou-me a sentar e somente ver o tempo passar; ensinou-me apenas desfrutar um pouco mais da vida. O novo mundo que ela me apresentou apenas me fez ver que eu nada sabia sobre o que era viver a felicidade. Mas além do novo mundo que ela me abria a cada novo vôo ela também me ensinou a ser eu! Ela me ensinou a mostrar ao mundo o meu jeito, expor a minha face e não ter medo de guardá-la só para mim. Ensinou-me a ter minha autenticidade e dizer simplesmente quem eu era. Aos poucos as cores tomaram formas para mim. Ela ensinou a me defender de tudo e até mesmo de mim. E quando tudo parecia que em ruínas ela me ajudava a arrumar.

Mas aquela borboletinha incrivelmente maravilhosa de alguma forma se prendeu ao meu jardim. Por mais belos e longínquos que eram nossos vôos nos sempre voltávamos e aprisioná-la ao meu jardim já não era mais correto. Ela sempre amava me fazer voar e eu a ela, mas o sol já não mais brilhava intensamente em teu sorriso! E o belo sorriso da borboletinha foi se perdendo e se perdendo…

Os meus erros foram um castigo! A minha vida foi um erro! E a borboletinha do meu jardim foi ficando triste e mais triste. Por mais que eu pensasse, eu simplesmente sabia que eu nunca teria coragem de sair do meu jardim e voar os vôos mais altos que trariam a felicidade pura minha delicada borboletinha.

Então por amor eu aprendi a voar; então por amor eu também precisei libertar. Eu tinha que deixar a minha linda borboleta voar para longe. Quão cruel seria eu tirar a felicidade de quem me ensinou a felicidade? Então eu aprendi sobre o amor! Então eu perdi o amor…

O amor dói e é uma dor profunda que sangra e não para… não há remédio e não há cura. Aos olhos a cura pode estar simplesmente ali, mas as cicatrizes e marcas do passado jamais permitirão isso aos fracos. Então eu perdi o amor… eu perdi para o amor…

Olho para meu jardim… ele já não floresce mais… olho para o céu e vislumbro o quanto ele irá brilhar o sonho de um outro sonhador e fazer florescer o jardim que a bela borboleta um dia pousar.

Não acreditar no amor é exatamente com morrer, mas morrer não significa deixar de amar,  eternizei, por isso sempre…

Anúncios

7 Comentários

Arquivado em Amor

7 Respostas para “O que é o amor?

  1. Ruiva

    Bem bacana! Sempre sinto que as pessoas não querem mais amar por medo de sofrer. Sinceramente, não entendo isso. Claro que sofrimento é algo que ninguem quer, mas está intimamente ligado ao amor, a paixão, á conquistas, lutas, e tudo mais em nossa vida. Como fugir dele? O que podemos fazer é somente aproveitar ao maximo os momentos bons, e superar qualquer ponto negativo.
    Há um texto, de um amigo meu, chamado Amor e erro, que acho que você vai gostar. Vou achar e te envio.
    Apesar de ser boa escritora (modestia a parte), falar sobre amor é algo que me é tão dificil, principalmente porque vivo intensamente um relacionamento maravilhoso. Meu medo é de que minhas palavras não façam juz a tudo que vivo e, pior, roubem de mim a sensação espiritual, fisica, psiquica, extrassensorial, entre outras maluquices, que faz tudo isso ser tão inexplicavel.
    Espero que você esteja consciente de que o mundo dá voltas e as borboletas sempre voltam para as flores que as alimentam.
    Inté!

  2. Ruiva

    Tá ae o link do texto: http://nostalgiaperene.blogspot.com/2010/11/amor-erro.html
    Uma das confissões mais sinceras que já vi/li de alguem. Sublime.

  3. Juliana

    Meuuu… showww de bola….
    fantastico isso … vc deveria escrever mais…
    até eu chorei lendo isso…
    Parabéns !!!
    Muito emocionante mesmooooo

  4. Maria

    Muito linda e mto triste a sua forma de sentir o amor meu filho. Eu o vejo como uma estrela muito brilhante que dá luz e força em tudo e onde toca. É a máquina que tudo movimenta, que tudo acalma e que tudo liberta. O difícil é colocar esta estrela dentro dos nossos corações, pois há pessoas que passam nesta vida sem nunca terem sequer sentido… uma faisca dessa luz e calor. Que seu coração possa sempre estar aquecido e iluminado.

  5. Amancio

    Ola

    è isto ai……………………..

    Só as experiencias que nós faz mudar e o seu tempo é agora.
    Desejo que você tenha muita experiencia e saia sempre muito forte e rico .

    Sou da sua torcida.

    Abraço

    Amancio

  6. Sempre tive receio de falar sobre amor. Não de sentir ou expressá-lo em ações. Mas com palavras… Nunca consegui. Uma dia uma texto do Hunter S. Thompson que me confortou:

    “Feliz, Amor, Honesto e Forte são palavras grandiosas. Você precisa ser um sacerdote ou um tolo para usá-las com alguma segurança”

    Abraços

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s